Navio para 4,5 mil toneladas começa a ser construído na sexta


O navio João Mallmann, da Navegação Aliança, começa a ser construído nesta sexta-feira. A embarcação terá capacidade para 4,5 mil toneladas e vai navegar em todos os portos da Bacia do Sul, com destaque para as cidades de Rio Grande e da região da Grande Porto Alegre. O batimento de quilha, cerimônia que dá início à construção do navio, vai acontecer em Triunfo, na sede da Intecnial, empresa contratada para o serviço.

A previsão é de que a embarcação seja lançada ao rio em maio de 2014, com entrada em operação entre junho e julho. O nome do navio foi escolhido como forma de homenagear um dos fundadores da empresa. De acordo como o diretor de operações da Navegação Aliança, Ático Scherer, a nova embarcação vai substituir uma mais antiga, ampliando a capacidade de transporte. A empresa tem hoje 16 navios em sua frota. “Ele vai atender a uma demanda que já temos hoje, para transportar cereais e fertilizantes, basicamente granel e algumas cargas unitizadas que surgirem”, explica.

A Navegação Aliança, controlada da Trevisa Investimentos, transportou em 2012 mais de 2 milhões de toneladas desses produtos, e a meta da empresa é de ultrapassar 3 milhões de toneladas até 2015. “Temos expectativa em relação a como o mercado vai se comportar com a ampliação da CMPC Celulose Riograndense, em Guaíba, e com o aumento da produção de soja. Estamos nos preparando para isso”, afirma Scherer.

Além do João Mallmann, a Navegação Aliança prevê a construção de mais um navio até o início de 2015. Scherer, no entanto, cobra melhorias nos portos do Estado. “É preciso promover a modernização dos terminais, agregando equipamentos mais novos e realizando a dragagem das hidrovias, que hoje não acontece”, diz.

Com investimento de R$ 22,6 milhões financiados pelo Bndes e pelo Badesul, o novo navio será construído pela Intecnial em duas etapas. Na primeira fase, em Erechim, a embarcação será fabricada em blocos, compostos de chapas e perfis de aço. Na segunda parte, chamada edificação, os materiais serão transportados até o estaleiro da empresa em Triunfo, onde os blocos serão soldados para formar o casco.

Fonte: Jornal do Comércio – http://jcrs.uol.com.br/site/noticia.php?codn=137763